O que é Glifosato?

O que é Glifosato? Há uma série de estudos diferentes que alegam que o Glifosato ( agrotóxico mais utilizado no Brasil ) se acumula nos ossos, intestino, baço, fígado, músculo e rim.

Glifosato. Esta todos os dias na sua mesa, nos alimentos que consome e você nem se dá conta de como pode ser prejudicial a saúde. 

 

O que é Glifosato?

O glifosato, também conhecido quimicamente como N- (fosfonometil) glicina é um pesticida / herbicida sistêmico de largo espectro e desidratante de culturas. Pertence à família de compostos organofosforados.

Foi desenvolvido e descoberto pela Monsanto em 1970  e introduzido no mercado em 1974 sob o nome comercial Roundup. É usado para matar as ervas daninhas que comprometem  as colheitas. As culturas que são pulverizadas incluem açúcar, milho, soja e trigo, entre outras.

Desintoxicando seu corpo da exposição ao Glifosato

 

 

Mais de 130 países permitem o uso de glifosato que o torna o herbicida mais amplamente utilizado no mundo hoje. As últimas estatísticas do US Geological Survey indicam que 280 milhões de libras foram usadas em 2012 e somente nos EUA.

 

Glifosato. O que é e o que faz a saúde 

Há uma série de estudos demonstrando que a exposição ao glifosato para os seres humanos (e todos os mamíferos) pode causar sérios problemas de saúde crônica. A exposição ao glifosato pode incluir:

Absorção através da pele
Comer alimentos tratados com glifosato
Água potável contaminada com glifosato

A exposição ao glifosato geralmente se manifesta lentamente ao longo do tempo e resulta em disfunções óbvias em sistemas biológicos.

A exposição ao glifosato demonstrou ter os seguintes efeitos sobre a fisiologia humana:

 

– Age como um antibiótico (o glifosato foi de fato patenteado como um antibiótico);
Quelante ( é, todo agente utilizado para capturar, transportar e/ou eliminar substâncias (principalmente metais) do organismo) de  minerais importantes (ferro, cobalto, manganês e glifosato foi de fato patenteado como um quelante mineral);
Dizima a microflora e sua capacidade de produzir aminoácidos essenciais como o triptofano que se converte em serotonina;
Interrompe o microbioma no intestino, interrompendo vias importantes;
Inibição das enzimas do citocromo P450 (CYP);
Interrompe a síntese de sulfato e o transporte de sulfato;
Prejudica as vias de metilação;
Interfere com a síntese de aminoácidos aromáticos e metionina, o que leva à escassez de neurotransmissores e folato;

Inibição da liberação pituitária do hormônio estimulante da tireoide;

Desreguladores tóxicos e endócrinos em linhas celulares humanas.

Agrotóxicos e Câncer
Agrotóxicos e Câncer

 

A exposição ao glifosato também tem sido associada ao desenvolvimento de vários tipos de câncer. A Organização Mundial de Saúde e a  Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer publicou um resumo em março de 2015 que classifica o glifosato como um  provável cancerígeno em seres humanos.  Os possíveis cancros associados à exposição ao glifosato incluem:

 

 

 

Determinação de níveis de glifosato em seu corpo por testes de urina

Se você acha que foi exposto ao glifosato, é provavelmente uma boa ideia testar os níveis de glifosato em seu corpo. Níveis de glifosato em seres humanos é feito através de um teste de urina. Há uma série de laboratórios que já estão atualmente fazendo testes de  glifosato. 

TESTE DE GLIFOSATO 

O glifosato é agora comumente combinado com o herbicida 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D), o teste para este produto químico com o teste GPL-TOX também pode ser considerado.

GPL-TOX: Perfil Químico Não-Metal Tóxico

 

 

 

Desintoxicando seu corpo da exposição ao glifosato

Há uma série de estudos diferentes que alegam que o glifosato se acumula nos ossos, intestino, baço, fígado, músculo e rim.

Se um teste de urina é positivo para a exposição ao glifosato, então os primeiros passos para a desintoxicação é seguir estas diretrizes:

-Evitar usar o Roundup e outros produtos similares;
-Evitar o consumo de alimentos geneticamente modificados que estejam diretamente contaminados com glifosato;
-Evitar produtos de origem animal como o leite ou a carne para os quais foram utilizados alimentos geneticamente modificados para alimentar os animais;
-Comer alimentos orgânicos, tanto quanto possível;
-Evitar viver em áreas onde o glifosato é aplicado.

 

Desintoxicando seu corpo da exposição ao Glifosato

 

Algumas mudanças de hábitos  poderão contribuir 

Use sauna infravermelho para suar toxinas
– Consumir  alimentos probióticos e suplementos probióticos para repovoar a microbiota que o glifosato destruiu;
– Consumir alimentos orgânicos ricos em enxofre e manganês;
Alguns estudos sugerem atributos de como desintoxicar o glifosato do corpo humano.  Existe muito interesse sendo dedicado para encontrar as substâncias naturais apropriadas que podem desintoxicar glifosato.

Foi estudada uma combinação de substâncias naturais para reduzir a atividade do glifosato no trato gastrointestinal. Estas substâncias naturais agem como ligantes ou neutralizadores que poderiam ser uma solução para remover a contaminação por glifosato.

Desintoxicando seu corpo da exposição ao Glifosato

 

Um estudo publicado na edição de dezembro de 2014 do Jornal de Toxicologia Ambiental e Analítica descobriu que a aplicação oral de certas substâncias naturais foram capazes de reduzir eficazmente os níveis urinários de glifosato.  Os pesquisadores usaram uma combinação das seguintes substâncias:

 

Ácidos fúlvicos
Ácidos húmicos
carvão ativado
Argila bentonita
Suco de chucrute

O estudo utilizou vacas que sofriam de sintomas de botulismo crônico. Foram alimentados sequencialmente com carvão animal , carvão vegetal , suco de chucrute e  ácidos húmicos.

Houve uma redução significativa de glifosato na urina após a suplementação com uma combinação de 200g de carvão mais ou 500 mL suco de chucrute ou ácido húmico.

Eles concluíram que uma combinação de sucos de carvão-chucrute e ácidos húmicos reduziu a excreção de glifosato pela urina e levou à melhoria da saúde dos animais.

Outro estudo de janeiro de 2011 publicado no Journal of  Occupational Medicine and Toxicology testou as vias comuns de intoxicação e desintoxicação em linhas de células embrionárias e hepáticas humanas. Os autores usaram vários poluentes como os resíduos de Roundup, Bisfenol-A e Atrazine, e cinco extratos de plantas medicinais precisos chamados Circ1, Dig1, Dig2, Sp1 e Uro1 para entender se ações moleculares específicas ocorreram ou não. 

 

Dig2 é uma fórmula de extrato vegetal que é fabricado pela Sevene Pharma Company.

 

Dig2 consiste nos seguintes extratos de plantas:

Taraxacum officinalis (Dente-de-leão)
Rhamnus frangula (Alder buckthorn)
Raphanus sativus (rabanete)
Carduus marianus (Silybum marianum, cardo de leite)

Um interessante estudo de outubro de 2010 publicado no Journal of Occupational Medicine and Technology investigou o mecanismo de ação de células hepáticas expostas ao glifosato e a possível proteção por extratos de plantas medicinais precisas chamado de Dig1.

 

O glifosato, na forma do produto  da Monsanto : o  Roundup, é capaz de provocar ruptura intracelular em linhas celulares hepáticas (fígado) a diferentes níveis, mas uma mistura de extratos de plantas medicinais específicos pode proteger, até certo ponto, linhas celulares humanas contra esta toxina.

Os pesquisadores testaram a capacidade de uma nova fórmula de substância natural chamada Dig1 para proteger as células da intoxicação por glifosato.

 

Dig1  contém os seguintes extratos de plantas:

Taraxacum officinalis (Dente-de-leão)

Arctium lappa (raiz de bardana)

Berberis vulgaris (bérberis, o ingrediente ativo em bérberis é berberina)

Chelidonium majus (Maior celandina)

 

Dig1 é uma mistura de extratos de plantas diluídos e obtidos pela Sevene Pharma (França) e onde foram escolhidos por seu grupo de estudos  para a desintoxicação digestiva ou efeitos hepato-protectores. A Sevene Pharma comercializa Dig1 sob a marca Digeodren.

 

Dig1  é capaz de prevenir a morte celular induzida por Roundup de uma maneira  eficiente interessante  de até 89%, em 48 horas.

 

Dig1 também foi usado em um estudo publicado em julho de 2016 a BMC – Complementar a Medicina Alternativa.

 

Dig1, sem quaisquer efeitos colaterais observáveis nestas condições, apresentou fortes propriedades preventivas e terapêuticas in vivo após uma intoxicação de curto prazo pelo amplamente utilizado pesticida Roundup.

 

Desintoxicando seu corpo da exposição ao Glifosato

 

Com base nos estudos científicos até hoje, há uma série de substâncias naturais que têm mostrado resultados positivos na desintoxicação e redução dos efeitos tóxicos da exposição ao glifosato.

 

Raphanus sativus (rabanete)
Alimentos e suplementos probióticos

Chucrute e suco de chucrute
Minerais

Enxofre (Metilsulfonilmetano (MSM))
Manganês
Ácido fúlvico
Ácido húmico
Carvão e Argila

Carvão ativado
Argila de bentonita
Ervas

Taraxacum officinalis (Dente-de-leão)
Rhamnus frangula (Alder buckthorn)
Raphanus sativus (rabanete)
Carduus marianus (Silybum marianum, cardo de leite)
Arctium lappa (raiz de bardana)
Berberis vulgaris (bérberis, o ingrediente ativo em bérberis é berberina)
Chelidonium majus (Maior celandina)

 

Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil

e Conexões com a União Europeia

 

Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia

Referências :

Glyphosate Test – Laboratórios Great Plains

Glyphosate que finge ser Glycine: Consequências Devastating Stephanie Seneff, MIT CSAIL Autismo 

 

Os perigos para a saúde do herbicida Roundup (glifosato). Jeffrey Smith & Stephanie Seneff

 

 

 

Stephanie Seneff, PhD em Glyphosate (RoundUp) – Envenenamento

 

 

 

Fonte : biofoundations

 

vitrine organica brasil

Nosso Foco - Preservar Você !

3 comentários em “O que é Glifosato?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *