Cinco coisas que a Monsanto não quer que você saiba sobre OGM

Os verdadeiros fatos sobre os OGM ou “Transgênicos”  não são nada parecidos com o que a grande Multinacional Monsanto da biotecnologia gostaria que você pensasse.

 

 

Você já ouviu falar das contradições sobre os alimentos geneticamente modificados (OGM) ou “Transgênicos”  e se eles são seguros para consumo (e a questão da segurança não é  nem de longe confirmada, apesar do que afirmam  as empresas que criam os Transgênicos e de como fazem para você acreditar que são seguros).

 

 

Mas o resto da história sobre os OGM ou “ Transgênicos”  é muito mais complexa do que se imagina : para as empresas de biotecnologia como a Monsanto, o verdadeiro propósito de criarem  OGM ou “Transgênicos”  é para ter o poder e controle sobre a oferta de alimentos, e, finalmente, sobre os lucros.

O  fato inegável é que os OGM ou “ Transgênicos”  são ruins para o nosso meio ambiente, nosso sistema alimentar e para a saúde das pessoas.

 

 

 

Aqui estão cinco razões pelas quais todos devem começar a se preocupar com os alimentos geneticamente modificados:

1 – OGM ou “Transgênicos” aumentam o controle corporativo da nossa alimentação.

 

Cada vez mais, a indústria de alimentos é dominada por um punhado de corporações poderosas que controlam quase todos os aspectos de como o nosso alimento é produzido.

Monsanto, por exemplo, agora possui um número impressionante de empresas de sementes que antes eram seus concorrentes.

Para as pessoas que compram mantimentos, é angustiante perceber que  dezenas de marcas no supermercado são na sua maioria propriedade de algumas empresas-mãe.

 

Quando uma empresa tem um monopólio virtual sobre todo um corredor do supermercado ou um conjunto de produtos agrícolas, eles tomam decisões com base no que é melhor para os seus lucros, e não o que é melhor para a saúde e qualidade de vida de seus clientes ou do planeta.

 

 

Esta consolidação de controle é fácil de ver nas corporações que criam os OGM ou “ Transgênicos “. As empresas de biotecnologia como a Monsanto, Dow, Dupont e Syngenta criam não apenas as sementes transgênicas, mas todo um sistema de produção de alimentos.

Se já existe lucro pela venda de produtos aos agricultores, há muito mais lucro a ser realizado neste processo: desde a criação de um sistema de produtos projetados para trabalhar em conjunto; por exemplo, ligando sementes transgênicas  com produtos químicos específicos que essas empresas também vendem, como a soja transgênica da Monsanto que são projetados para resistir ao Roundup, o herbicida produzido também pela Monsanto. Se um agricultor planta essa soja, ele terá que comprar o Roundup também.

 

 

 

 

Roundup é o nome comercial de um herbicida fabricado pela Monsanto cujo princípio ativo é o glifosato!

 

 

 

Isto acaba dificultando aos agricultores de evitarem ou substituírem os “ Transgênicos” de suas plantações. E nesta indústria de alimentos cada vez mais consolidada, os agricultores têm cada vez menos opções, e os conselhos que ouvem é de aderirem aos ” OGM “. E isto acontece cada vez mais no mundo todo.

 

2 – OGM não estão de acordo com suas campanhas publicitárias

 

Transgênicos muitas vezes – nem sequer fazem o que dizem seus produtores. Você provavelmente já ouviu que “precisamos de OGM ou Transgênicos para poder  alimentar o mundo”, na presunção de que apenas as culturas de OGM ou Transgênicas  têm um rendimento elevado o suficiente para abastecer uma população crescente.

O problema é que isto: simplesmente não é verdade. Estudos sobre determinadas culturas geneticamente modificadas têm encontrado pouca ou nenhuma melhorias de rendimento e estudos de longo prazo do programa de agricultura biológica já comprovaram que a agricultura orgânica pode se igualar a produtividade da agricultura convencional.

 

Em outros casos, as empresas de biotecnologia afirmam que os seus OGM têm benefícios nutricionais, ou irão resolver algumas outras crises pendentes. O “arroz dourado”, por exemplo,  que é colocado  para curar a deficiência de vitamina A no mundo em desenvolvimento.

Infelizmente, não é verdade: o beta-caroteno em arroz dourado não pode ser absorvido pelo corpo, a menos que combinado com algumas gorduras e óleos, que não são úteis  para pessoas que vivem na pobreza  ou com uma dieta limitada.

A abundância de alimentos não-transgênicos, como cenoura e batata doce, são ricos em vitamina A e não necessitam de milhões de dólares para produzir e crescer. Arroz dourado faz  bem para os lucros da Monsanto, mas não irão resolver os problemas nutricionais do mundo.

 

As culturas de OGM ou transgênicos não servem a nenhum propósito prático saudável – pelo menos para as pessoas que os consomem.

 

Será que realmente precisamos desta ciência para que as maçãs não escureçam ao cortá-las? Maças transgênicas que não escurecem  são puramente uma estratégia  de marketing, uma forma de conservar os produtos  – torná-los mais frescos do que realmente são,  facilitando a vida de distribuidores de maças cortadas para a cadeia de fast food.

 

 

 

3 – Mais OGM ou Transgênicos  significa mais uso de produtos químicos = AGROTÓXICOS

 

Muitas culturas OGM ou Transgênicas são especificamente projetadas para resistir a determinados herbicidas, como o Roundup [Roundup é o nome comercial de um herbicida fabricado pela Monsanto cujo princípio ativo é o glifosato!] potencialmente cancerígeno, então plantar OGM ou Transgênicos significa que os agricultores acabam usando os produtos químicos associados em suas plantações cuja cultura é transgênica.

Esses produtos químicos acabam com o meio ambiente e ameaçam a saúde dos agricultores e trabalhadores rurais, bem como as comunidades em que vivem.

 

E o sistema para certificar que estes produtos químicos passam para a nossa alimentação é extremamente fraco.

 

Outro fato – ainda pior  – é que devido a utilização de tantos produtos químicos – as pragas acabam se tornando mais resistentes  e voltando a atacar plantações.

Ao longo do tempo, as ervas daninhas e insetos desenvolvem uma resistência aos produtos químicos que se usam contra eles.

Quanto mais usamos, mais rápido eles se adaptam.

 

Muitos herbicidas comuns não são mais eficazes em fazendas e plantações, o que faz com que  as empresas de biotecnologia criem novos produtos químicos e muito mais agressivos. E não demora muito e  as pragas acabam se adaptando, levando a uma corrida maluca de Agrotóxicos  perigosos, onde as pessoas e  meio ambiente, serão  inevitavelmente, os grandes perdedores.

 

4 – Transgênicos  e alimentos  orgânicos não podem coexistir

 

Tentar manter uma exploração agrícola livre de OGM  ou Transgênicos é mais difícil do que você imagina.

Alguns OGM ou sementes Transgênicas não ficam  paradas apenas onde estão plantadas.

É bastante comum para estas sementes transgênicas contaminarem plantações vizinhas, ou mesmo fazendas a muitos quilômetros de distância.

 

O  pólen de culturas transgênicas se deslocam através do  vento, contaminando outras plantações e cultivos.

Em 2013, um fazendeiro de Oregon encontrou trigo transgênico no seu campo – em uma colheita de orgânicos  que era cultivada desde 2005.

Este é , sem dúvida,  um problema sério para os agricultores de orgânicos, que não têm permissão para usar sementes transgênicas.

 

5 – A pesquisa é tendenciosa

 

Há uma grande quantidade de pesquisas realizadas sobre a segurança e os efeitos dos OGM –  ou Transgênicos – mas geralmente é conduzida e financiada pela própria indústria de biotecnologia.

 

Perturbadoramente, isso inclui pesquisas feitas nas universidades públicas.

 

Quando os defensores de Transgênicos afirmam que há um “consenso científico” sobre os OGM, ou que as principais organizações científicas estão a favor dos OGM, eles são muitas vezes A “ CEREJA DO BOLO”  de relatórios que lançam o debate em uma luz mais matizada.

 

Precisamos de mais  pesquisas cientificas de segurança,  independentes e de longo prazo sobre os efeitos dos OGM sobre a nossa saúde e aos danos  ao ambiente.

 

Glifosato provoca alterações no DNA
Glifosato provoca alterações no DNA

 

Há uma centena de boas razões para você  começar a tomar princípios de precaução sobre os Transgênicos que consome.

 

Para os consumidores que conhecem muito bem a causa, compreenderão em como foi importante , nos brasileiros , lutarmos com unhas e dentes , para que os produtos com transgênicos continuarem com a identificação em seus rótulos.

 

 

Sim-Queremos-Rotulagem-de-Transgênicos
Sim-Queremos-Rotulagem-de-Transgênicos

 

Quer conhecer mais sobre a Monsanto – recomendamos este vídeo :

 

 

Fonte Original : foodandwaterwatch

 

Adaptações :

 

2 comentários em “Cinco coisas que a Monsanto não quer que você saiba sobre OGM

  • 18 de agosto de 2016 em 8:26 AM
    Permalink

    Só acreditarei que os transgênicos são saudáveis quando souber que os acionistas da MONSANTO se alimentam de seus produtos …

    Resposta
  • 15 de setembro de 2016 em 11:24 AM
    Permalink

    Quero deixar minha nota de repúdio a essa cultura transgênica que surgiu. Vá ao mercado comprar qualquer coisa que contenha derivados de milho; simplesmente não EXISTE um produto que não seja transgênico. O amido de milho é o vilão n. 1, pois é adicionado a todos os produtos, tornando tudo transgênico. Já procurei amido orgânico e não encontrei.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *