Alemanha coloca ‘restrições maciças’ para o RoundUp da Monsanto

Enquanto no Brasil, Blairo Borges Maggi ( Ministro da Agricultura) e Covatti Filho ( Deputado do PP/RS ) querem  colocar a todo custo, mais “agrotóxico” na mesa dos brasileiros, Alemanha coloca ‘restrições maciças’ para o RoundUp da Monsanto!

Alemanha coloca 'restrições maciças' para o RoundUp da Monsanto
Julia Kloeckner, Ministra da Agricultura da Alemanha

Isto é realmente

” impactante ”

Aos agricultores que pagam royalties, patentes pelas sementes; matéria-prima brasileira;

Aos agricultores que percebem a quantidade de Glifosato aumentar em suas lavouras,

Minha recomendação  de coração – como cidadã brasileira ” é lerem com bem mais atenção para tirarem novas ” conclusões ” sobre este assunto F.E.B.R.I.L – que envolve

saúde,

humana e animal,

qualidade de vida

e meio ambiente.

Quem sabe “juntos” não possamos buscar novas alternativas para a agricultura brasileira…tão rica em culturas e biodiversidade!

E Abençoada por Deus…com certeza !

GiKa 

Julia Kloeckner, Ministra da Agricultura da Alemanha,  anunciou em 17 de Abril de 2018 , que está redigindo um regulamento para suspender o uso de glifosato nas hortas, parques e instalações esportivas do país.

 

A ministra também planeja definir “restrições maciças” para seu uso na agricultura, com isenções para áreas propensas à erosão e que não podem ser trabalhadas com maquinário pesado.

 

“Estou planejando um esboço regulatório como primeiro passo na construção de uma estratégia para minimizar o uso de glifosato”, disse Kloeckner.

 

Ela disse que a proposta seria examinada por outros ministérios, mas não estabeleceu um prazo para o fim do uso do herbicida.

 

Glifosato, o ingrediente ativo da Monsanto Roundup, é o herbicida mais vendido do mundo e tem sido usado por mais de 40 anos.

 

Na Alemanha, cerca de 40%

das terras cultivadas

são tratadas com glifosato.

 

O glifosato está no centro das controvérsias internacionais desde 2015, quando a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer da Organização Mundial da Saúde classificou-o como “provável cancerígeno“.

 

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos, bem como a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, consideram seguro.

 

Em fevereiro, o novo governo de coalizão alemão concordou com uma “estratégia de minimização sistemática” para restringir significativamente o uso do glifosato, “com o objetivo de terminar fundamentalmente o uso o mais rápido possível”. A estratégia ainda não incluiu um cronograma.

 

 

O novo ministro do Meio Ambiente da Alemanha, Svenja Schulze, da social-democracia de centro-esquerda, saudou a proposta de Kloeckner como o primeiro passo para acabar com o uso do glifosato.

 

Eliminar o uso do Glifosato é

um objetivo fundamental do

mandato legislativo de Schulze.

Alemanha coloca 'restrições maciças' para o RoundUp da Monsanto

“Precisamos de uma saída completa do glifosato durante este período legislativo. O glifosato mata tudo o que é verde, privando insetos de sua fonte de alimento”, disse ela no início deste mês.

 

Em novembro, o antecessor conservador de Kloeckner, Christian Schmidt, provocou indignação entre os oponentes do glifosato e a coalizão alemã anterior, depois que ele inesperadamente votou a favor – e efetivamente balançou a decisão da UE – de renovar o herbicida pelos próximos cinco anos.

 

Segundo , Werner Baumann, CEO da Bayer, que está adquirindo a Monsanto, disse que a questão se tornou muito politizada na Europa e que a Alemanha acabaria com a proibição do produto químico sem uma estrutura regulatória adequada.

Por Lorraire Chow do Ecowatch

 

Enquanto isso

No Brasil 

PGR denuncia Ministro da Agricultura

Blairo Borges Maggi

por Corrupção Ativa

Eles irão afundar o Brasil. Novo Ministério Temer

Criada a Comissão Especial para decidir novos projetos sobre AGROTÓXICOS no Brasil

Está em curso na Câmara Federal um projeto de lei que pode colocar ainda mais veneno na sua mesa.

 

O Projeto de Lei dos Venenos está tramitando desde 2016, e abriga sob ele diversos projetos que representam um enorme retrocesso na legislação de agrotóxicos.

 

O pior deles atende pelo nome de PL3200 – de autoria do DeputadoCovatti Filho ( PP – RS). 

 

Além de manter a troca do nome agrotóxico pelo insuspeito “defensivo fitossanitário”, como previa o projeto original, o deputado da bancada ruralista foi além: retirou da lei todos os critérios de proibição de agrotóxicos existentes anteriormente.

 

Assim, a possibilidade de causar câncer, mutação genética e má-formação fetal não impedem mais um veneno de ser registrado.

 

Ele também retirou o poder dos Ministérios da Saúde e do Meio Ambiente vetarem um novo agrotóxico, e acabou com a proposta de prazo de validade para registro de agrotóxicos.

 

PL do Veneno:

o lucro

vem antes da saúde

e do meio ambiente

 

Quem SÃO ELES nesta Comissão Especial

Não esqueça o nome, o partido , o seu voto e a curiosa ficha de cada um !

Por se tratar de projetos tão importantes e que dizem respeito, principalmente, sobre a nossa

SEGURANÇA  ALIMENTAR,

levantamos algumas “curiosidades” destes representantes  políticos que irão votar a “ FAVOR ou CONTRA“ dentro desta Comissão Especial  sobre AGROTÓXICOS NO BRASIL.

 

Desta forma,  todos poderão deduzir facilmente, até que ponto, a votação destes representantes políticos vão de encontro com os Interesses e necessidades básicas do nosso país!

Leia AQUI 

 

Quem SÃO ELES nesta Comissão Especial
Quem SÃO ELES nesta Comissão Especial

 

 

 

Um comentário em “Alemanha coloca ‘restrições maciças’ para o RoundUp da Monsanto

  • 8 de maio de 2018 em 3:07 PM
    Permalink

    Agrtóxicos ou defensivos agrícolas, como queiram chamar são substancias químicas para o controle de pragas e ou doenças para podermos produzir o nosso alimento de cada dia que é indispensável para manter nossa saúde em dia e podermos sobreviver. Assim como os defensivos, os remédios que são receitados por nossos doutores também são substancias químicas das variadas possíveis. Também são drogas na sua essencia e usamos indiscriminadamente. E para então finalizar minha opinião , digo que ambos são um mal necessário. Não podemos viver sem eles.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.